segunda-feira, 19 de julho de 2010

Felizes para Sempre


Nossa, o shrek é bonitinho, ele anda com o burro, e tals. Mora num pântano, resgata uma princesa, que é uma ogra também, que história linda. Até aí tudo bem!
Chegamos onde eu queria. Todos vêem a história de um ogro que se casa com uma princesa por que encontrou o amor verdadeiro, como o príncipe e a sapa, que quebra o encanto de Fiona que é consequência do verdadeiro amor. Mas eu não estou aqui pra falar muito de amor, se você pensou isso.
O que ninguém percebeu, ou, pelo menos não demonstrou percepção, é que Shrek é a história de um ogro que sofre com esteriótipos da sociedade, a qual foi excluído. A história de Shrek acontece também na vida humana, na qual o indivíduo se sente perseguido pela sociedade, tão somente por uma condição física ou psicológica que repreendeu, mas acha que a sociedade o crucificará por isso. E não só por isso, a pessoa passa a se tornar egoísta, pois, vive sozinha, rodeada por ela mesma.
Aí vem alguém, um escolhido, ou até mesmo um segundo excluído social, um burro, que muda toda a vida monótona do indivíduo primário, tentando criar laços afetivos com ele, mas a ignorância predomina, e o desejo de voltar a ser como antes, isso é o chamado comodismo.

E, de repente, a vida dele, que era julgada perfeita, muda completamente, como um vendaval que tira seu chão. Ele passa por aventuras inimagináveis, alegrias imensuráveis, mas não percebe que é feliz do novo jeito, pois seu egoísmo corrompeu sua alma. mais uma vez, as provações trazem o amor de sua vida, mas não percebe, e transforma qualquer conversa esteriotipada, pois passa a aceitar o que a sociedade impôs. Mas com um saculejo, percebe que o amor de sua vida, passou por ele e ele nem se deu conta, passando a correr atrás do tempo perdido. Mas ainda ha uma ferida de egoísmo que o amor não fechou.

O indivíduo é acostumado a ser tudo do jeito dele, como sempre foi, e tudo tem que se transformar pra ele, mas não vê, que nada acontecerá se ele não se transformar primeiro. Ele não aceita o que a vida lhe impõe, e tudo o que ele quer é voltar para a vidinha pacata e monótona que tinha, sem amigos, e, indiretamente, perder todo o futuro que conquistou.

A partir daí, qualquer arrogante pode lograr esse indivíduo, pois está cego e destinado a conseguir o que queria de qualquer jeito, sem ver que pode perder tudo o que mais ama na vida. É como se tomaase sorte líquida, para voltar à sua vida excepcionalmente comum. De repente, ele se dá por conta que foi logrado por um Rumpelstiltskin  outro egoísta, ganancioso que busca realizar seus desejos a todo custo.

E agora? Agora é tarde demais. Pois a vida real não te da segunda chance. Não é como no filme em que ele consegue voltar para a Fiona e seus filhos. Pense bem, e controle seu ego. Pois confiança só se perde uma vez, principalmente a confiança da pessoa amada!

Por hoje é isso caro leitor, mas em breve eu volto para postar mais!!!!! Não deixe de comentar!

3 comentários:

  1. ou vc vai ser um biólogo ou vai se tornar um crítico igual o carinha do jornal nacional.
    muito bom nimbus, como sempre :*

    ResponderExcluir
  2. Muito Bom Carlos, gostei do texto!

    Apesar de ser um pequeno Spoiler pra quem não viu o filme xD

    To seguindo o blog e vou colocar o Abrida nos meus blogs amigos!

    Té mais!

    ResponderExcluir
  3. Comenta no Vaisifu tbm pô!! só eu que venho aqui...
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    beijoooo

    ResponderExcluir