domingo, 19 de junho de 2011

Crie seu próprio título. Boa leitura.




Todo mundo conhece o famoso pegador, o metido a Charlie Harper. Embora ele pegue todas, Ele também tem coração, e por mais que não pareça, ele sabe amar.
Mas ele só quer se divertir, não quer nada sério. E quem é você pra conseguir algo com ele? Ele, que só pega gatinha, gostosa, com medidas definidas. Ele finge que não te vê.
Talvez ele até te veja, talvez um dia ele te conheça, talvez vocês virem amigos.
Sim! Amigos, melhores amigos, é! Mas você não queria isso, não é, você ama ele, sempre o amou. Tentou se aproximar e deu no que deu.
Um dia ele se frustra com a gata que não deu o telefone pra ele, e te conta tudo. Você é a conselheira amorosa do seu próprio amor.
Mas o centro das atenções não é você. Sempre foi mais do que você. E um dia você se cansa, de estar ali e não ser vista, dele te contar tudo o que ele sente, ou o que não sente.
Contar como ele chegou naquela garota bonita, como ele conseguiu o telefone da outra. De repente, você percebe que suas atitudes só dependem de você, mas já é tarde, você está frustrada com tudo. E resolve se afastar.
Aí ele percebe, que a pessoa que ele sempre precisou esteve ao lado dele o tempo todo. Caraca, como ele não percebeu isso?
Mas como ele é orgulhoso demais, e mimado, não se dará ao luxo tão fácil de correr atrás do tempo perdido. Ele sente a sua falta, mas como você sente por ele.
E deixando o orgulho de lado, e sentindo algo estranho, como se o esmagasse por dentro, ele corre atrás de você. Mas aí é meio tarde. Porque quem não quer dar o braço a torcer agora é você.
E o aperto dele aumenta. É quando ele percebe que tudo o que ele fizer é em vão. Ele se abstém de garotas por você, e passa a implorar, a gritar aos quatro ventos por você.
É quando ele descobre o que é o aperto. Saudade. Vontade. Paixão. Finalmente você conseguiu garota. Será que vale a pena esse amor, será que tudo que você almejou e conseguiu até agora se mantém pra sempre? Isso não importa.
O que importa é que você mudou seu destino. Com atitudes. Isso, definitivamente, é o que realmente importa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário