sábado, 31 de agosto de 2013

Virtude, autocracia e adução

Se tem uma coisa da qual eu não duvido, é o meu potencial. Algo que eu tenho e muito. Posso parecer prepotente, mas eu realmente me destaco em algumas coisas, mas eu nunca tripudio isso na cara das pessoas. Primeiro porque eu sou um ser evoluído, sei da minha posição social e sei do que posso e não posso fazer, e segundo, porque eu não preciso disso.

Algumas pessoas têm mania de achar que as outras devem saber do que elas são capazes, com ameaças e outras artimanhas, quando na verdade estão apenas dando uma brecha pras demais acharem qualquer possível vulnerabilidade. Já outras pessoas acabam se tornando animais de carga por não saberem dizer não, e as outras pessoas acham que elas nunca vão perceber que estão sendo feitas de trouxas. Mas um dia elas percebem e se rebelam, um dia tudo muda e quem está por baixo da a volta por cima.

O que essas pessoas não podem e não devem é achar que elas são absolutas por serem o que são e que nada pode mudar isso. Claro, existem situações que nem mesmo a mais erma circunstância tira uma marca digna de uma pessoa, mas tudo tem seus limites. Na verdade acho que o tempo pode fazer isso, mas se a pessoa se esforçar para que não ocorra, pode ser que a opressão perca.

Mesmo quando um serviço é oferecido a um grupo de pessoas, elas não podem achar que o indivíduo que oferece o serviço é obrigado a fazer tudo que os outros necessitam, mesmo porque todos têm suas vidas e prioridades. As pessoas precisam perceber que elas não tem o rei na barriga, principalmente certos jovens e iniciantes.

Mas a essas pessoas a vida reserva uma aula bem dada. Elas sempre aprendem com o tempo. Sim, eu amo o tempo porque ele samba na cara da sociedade e dos amotinados, e repare que nem estou relacionando isso a destino, mas o tempo faz o livre arbítrio anterior se tornar objeto de cognição. Todo mundo aprende com o tempo.

É algo que eu não me canso de falar, ou as pessoas se adaptam a certas realidades ou elas ficam perdidas no tempo, porque quando se tem cabeça dura, qualquer possibilidade de sucesso é falha. Dessa forma, é preciso que percamos a necessidade de tripudiar suas virtudes, paremos de abusar das pessoas que estão ali pra ajudá-las e percebamos que as nossas opiniões não são isoladas nem prevalecem como absolutas.

Pois quem aduz sobre o tempo, por ele é aduzido. Afinal de contas, o tempo é infinitamente maior que nossas vidas.

Obrigado por ler até aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário